Formações



18 de agosto de 2015

O corpo místico de Cristo e a intercessão dos santos

 

"A Igreja é viva!". Isso você já sabe, não é verdade? E como todo organismo vivo, a igreja possui um corpo, assim como o nosso. Corpo que tem em Jesus sua Cabeça e, no Papa, a representação visível de Cristo. E nós somos os membros desse corpo!

 

"Eu sou a videira e vós os ramos... Permanecei em mim e eu ficarei em vós". (Jo 15, 5)

 

Fazem parte do Corpo Místico de Cristo: a Igreja Triunfante (constituída pelas almas que já se encontram no Céu); a Padecente (almas do Purgatório) e a Militante (nós, na terra). Como galhos da mesma árvore, vivendo da mesma seiva, como membros de um mesmo Corpo (a Igreja), ligados a Jesus, sua Cabeça, vivemos do mesmo Sangue – isso é a Comunhão dos santos – a união de todos, no Corpo, no Sangue, no Espírito.

 

No Céu, nossos irmãos santos intercedem por nós (2Mc 5, 4). A eles devemos rezar, pedindo-lhes proteção. No purgatório, também, nossos irmãos rezam por nós. Já não podem merecer para si mesmos porque, para isso, seu tempo já passou. Mas, enquanto, na dor, se purificam, beneficiam a todos os outros membros – e, dos outros (de nós), esperam ajuda. "É um santo e salutar pensamento rezar pelos defuntos, para que sejam libertados de seus pecados" (2 Mc 12, 46).

 

Na terra, somo a Igreja militante, isto é, a que luta, ainda, a caminho de seu destino, de sua integração perfeita, sua união completa em Cristo. A Igreja, na terra, pode ser, também, chamada de Igreja Peregrina, pois não temos, aqui, morada definitiva (Hb 13, 14).

 

Nós, na terra, as almas do Purgatório e os santos no Céu formamos uma só família – a família de Deus. E todos os membros da Igreja – participam da comunhão dos santos, todos são ligados e podem ajudar-se.

 

Para a harmonia do corpo humano, como a do corpo social e religioso, é preciso que cada membro cumpra bem a sua função. Eis, que, porém, Deus pós os membros no corpo, cada um deles como quis. Dá-se o mesmo na sociedade religiosa, na Igreja. Cada um tem a sua missão, cada um recebe talentos – e todos são chamados à santidade (Ef 1, 4).

 

A comunhão dos santos vai além da vida terrena, vai além da morte e dura para sempre. Todos os batizados aqui na terra, as almas do Purgatório e todos os beatos que estão já no Paraíso formam uma só grande família. Esta comunhão entre terra e céu se realiza especialmente na oração de intercessão. Intercedamos, pois, por todo o corpo místico de Cristo, no qual estamos inseridos!
 


Buscar por: